Notícias

Ver notícia

Políticas de sustentabilidade e investimentos em saneamento foram debatidos por Instituto destacando a universalização dos serviços em Campo Grande e MS

Em visita na quarta-feira (2) à Águas Guariroba e MS Pantanal, o presidente do Instituto AEGEA, Édison Carlos, destacou os avanços realizados pelas concessionárias voltados para a universalização dos serviços de saneamento em Campo Grande e Mato Grosso do Sul. O encontro contou com a presença dos diretor-presidente da Águas Guariroba, Themis de Oliveira, do diretor-executivo da Águas Guariroba Gabriel Buim, além dos diretores da Sanesul, Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (AGEMS) e Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos (AGEREG) de Campo Grande.

O objetivo do encontro foi debater as políticas ESG (Environmental, Social and Governance ou governança ambiental, social e corporativa) realizadas pela holding e fortalecer as ações já implantadas por cada unidade, ampliando o alcance do modelo ESG através de parcerias com instituições locais.

Para Édison Carlos, os investimentos voltados a universalização dos serviços de saneamento são diretrizes essenciais para a prática de políticas de sustentabilidade que impactam diretamente no bem-estar da população. Para o presidente do Instituto AEGEA, Campo Grande e Mato Grosso do Sul são referência nacional e caminham à passos largos para alcançar antes do prazo as metas do Marco do Saneamento, que prevê a universalização do saneamento no Brasil até 2033.

“O Brasil ainda tem uma situação muito difícil em termos de saneamento básico. Mesmo nos últimos avanços nos temos cerca de 35 milhões de pessoas que ainda não tem água potável e cerca de 100 milhões sem coleta e tratamento de esgoto. Felizmente alguns lugares estão avançando muito neste quesito. Mato Grosso do Sul é um dos estados que mais tem avançado em termos de saneamento levando em conta o novo marco do saneamento que estabelece a universalização até 2033. Nesse ritmo Mato Grosso do Sul pode universalizar em 2030, o que seria um sucesso absoluto. E dentro do estado temos a felicidade de ter Campo Grande, que é uma capital quase universalizada em termos de saneamento, fruto do trabalho realizado pela Aegea e pela Águas Guariroba”, explica Édison.

O presidente do Instituto AEGEA, Édison Carlos, o diretor da AGEREG, Odilon de Oliveira Jr e o presidente da Águas Guariroba, Themis de Oliveira.

A universalização do acesso ao saneamento básico é um dos principais legados que a atuação ESG da AEGEA trará para Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande, está em andamento um dos maiores programas de investimentos na ampliação do sistema de esgotamento sanitários dos últimos anos. Iniciado em janeiro de 2023, o programa Campo Grande Saneada tem como objetivo implantar mais de 150 quilômetros de rede de esgoto em 10 bairros da cidade.

Para o diretor-presidente da Águas Guariroba, Themis de Oliveira, as obras do programa caminham em conjunto com Marco do Saneamento, trazendo a expectativa de que Campo Grande alcance a universalização dos serviços de esgotamento sanitário até 2029, quatro anos antes do prazo estabelecido pelo Marco. “Contamos hoje com 85% de cobertura de esgoto em Campo Grande e agora conseguimos fechar um acordo com o município e agência de regulação colocando como meta de se chegar a universalização até 2029. O programa Campo Grande Saneada é um dos maiores conjuntos de obras de esgoto em um só ano na história da cidade, com 150 quilometros de rede a serem implantados e uma previsão de continuidade para o ano que vem para caminharmos rumo a esta meta de universalização. Dessa forma, sendo uma referência a nível nacional em termos de saneamento básico.” destaca Themis.

Gestão e Universalização

A universalização do acesso ao saneamento básico é um dos principais legados que a atuação ESG da AEGEA trará para Mato Grosso do Sul. A capital, Campo Grande, passa por um dos maiores programas de investimentos na ampliação do sistema de esgotamento sanitários dos últimos anos. Iniciado em janeiro de 2023, o programa Campo Grande Saneada tem como objetivo implantar mais de 150 quilômetros de rede de esgoto em 10 bairros da cidade, beneficiando mais de 30 mil pessoas nas regiões. Somente no primeiro semestre, o programa já implantou mais de 117 km de rede, o que representa mais de 11 mil ligações de esgoto.

Já o programa Escolas Saneadas, lançado no ano passado, tem como objetivo priorizar a universalização do serviço de esgotamento sanitário em 116 escolas públicas de Campo Grande, beneficiando cerca de 50 mil estudantes com a construção de aproximadamente 27 mil metros de rede de esgoto.

No interior do estado, através de uma Parceria Público-privada com a Sanesul, a AEGEA tem o desafio de fazer do MS o primeiro estado brasileiro a universalizar o acesso ao esgoto coletado e tratado. O trabalho está sendo desenvolvido por meio da Ambiental MS Pantanal, empresa criada pela companhia com atuação em 68 cidades sul-mato-grossenses.

Instituto AEGEA

O Instituto Aegea acompanha e desenvolve soluções no campo do investimento social e negócios de impacto, em áreas como saúde, educação, geração de renda e meio ambiente. Um dos desafios do Instituto é o de posicionar a Aegea Saneamento na vanguarda das melhores práticas socioambientais, valorizando e dando visibilidade às diversas ações que a empresa faz no campo social e pela proteção do meio ambiente, bem como avaliar novas tecnologias ambientais testadas no mercado e que possam complementar o portfólio de soluções que a Aegea aplica nos vários territórios em que está presente.

Compartilhar:

Veja Também

Aperte o play Saiba mais
Aperte o play

Confira nossos conteúdos em vídeo

Água Saiba mais
Água

Antes de chegar às torneiras, a água percorre um longo caminho pelo sistema de abastecimento da Águas Guariroba.

Política de Sustentabilidade Saiba mais
Política de Sustentabilidade

Respeito ao meio ambiente e as pessoas, contribuindo para qualidade de vida e saúde da população onde atuamos.

Legislação e Tarifas Saiba mais
Legislação e Tarifas

Os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário implicam em custos e investimentos permanentes.